Veja algumas dicas para fazer o descarte correto de lixo

O descarte incorreto de produtos em ralos e pias pode trazer uma série de problemas à saúde e ao meio ambiente. Alguns desses lixos, se jogados na água, dificultam a limpeza durante o tratamento de esgoto, essencial para proteção da saúde pública e preservação do meio ambiente. Pensando nisso, veja algumas recomendações da coordenadora do laboratório da Companhia de Saneamento de Jundiaí (CSJ), Agnes Tezotto.

Jogar produtos inflamáveis, remédios, tintas, óleo de cozinha, absorventes e preservativos nos ralos, pias ou vasos sanitários são atitudes incorretas, mas ainda constantes, explica Agnes. “Infelizmente esses lixos que deveriam ser descartados em locais específicos chegam à ETEJ e podem reduzir a eficiência do tratamento”, comentou.

Na outra ponta, o tratamento adequado reduz os índices de doenças causadas por águas contaminadas, gerando uma qualidade de vida melhor. Além disso, remove substâncias que poderiam contaminar os rios e provocar a morte de organismos aquáticos. De acordo com Agnes, o objetivo de empresas de saneamento, como a CSJ, é tratar todo o esgoto do município, reduzindo o impacto da poluição nos rios. Caso contrário, a poluição pode até mesmo se alastrar para outros municípios.

E a população pode fazer sua parte com ações mais simples do que se imagina, destaca a especialista. Por exemplo: deve-se dar preferência a produtos de limpeza biodegradáveis. “Lembrando que não é a quantidade de espuma que indica a ação do produto de limpeza. A utilização em excesso pode inclusive ocasionar formação de espumas no processo de tratamento do esgoto”.

Agnes explica ainda que o esgoto passa por interceptores e emissário até chegar à Estação. Depois passa por alguns processos de eliminação de resíduos até ser lançado novamente no Rio Jundiaí. Como o sistema é biológico, produtos biodegradáveis são reduzidos mais facilmente pelas bactérias.

CSJ

Fundada em 1996, a Cia Saneamento de Jundiaí (CSJ) construiu a Estação de Tratamento de Esgotos de Jundiaí (ETEJ), com o objetivo de tratar todo o esgoto de Jundiaí. A meta foi atingida e hoje todo o esgoto coletado pela DAE S/A recebe tratamento e destinação adequados, garantindo um saneamento de qualidade e respeitando o meio ambiente. Além disso, o lodo produzido no processo é reciclado e beneficia a agricultura, sendo usado em culturas que não são de consumo direto da população.