Vereador Marcos Ferraz tem o mandato cassado e deixa a Câmara

O ex-vereador de Vinhedo Marcos Ferraz, que deixou a Câmara após ter o mandato cassado

O vinhedense Marcos Ferraz (PSD) teve o seu mandato cassado e já deixou o posto de vereador de Vinhedo após decisão da Justiça.

O suplente Marcelo Ferreira Leite, conhecido como Marcelo da Bicicletaria assume a vaga deixada. Ele tem 50 anos e obteve 250 votos nas eleições de 2016. O mandato segue até dezembro.

A determinação veio do juiz da 1ª Vara da Comarca de Vinhedo, Fábio Marcelo Holanda. Além da perda do mandato o agora ex-vereador também deverá ressarcir o dano, pagar multa civil, além da suspensão dos direitos políticos por 5 anos e proibição de contatar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.

Marcos foi condenado por improbidade administrativa após irregulares na Festa da Uva de 2005, na época ele era presidente da festa e também ocupava o cargo e vice-prefeito de Vinhedo.

Ele foi acusado de desviar verbas da festa. A denúncia partiu do então vice-presidente do evento e ex-secretário de Esportes, Milton Barbosa que também foi acusado.

Todo processo na Justiça se iniciou após o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), aberta na Câmara dos Vereadores, na qual o então vereador Gilberto Lorenzon foi presidente. O prefeito de Vinhedo em 2005, Kalu Donato, foi inocentado pelos vereadores por falta de provas.

Marcos Ferraz enviou uma nota a imprensa comentando o assunto, confira o comunicado na integra: ‘Recebo a notícia com indignação, mas também com serenidade e resiliência. Sei o que sou e as pessoas que me importam, as pessoas que de fato me conhecem também sabem e estão a meu lado. O meio político admite muitos defeitos, menos um, que é a ingenuidade. Estou pagando o preço por ter contrariado os interesses de gente poderosa, de ter acreditado em pessoas, de ter confiado, de não perceber que há gente, que por interesses ou por dinheiro, não terão pudores em lhe cravar a faca pelas costas. Aquela festa foi uma das melhores mais baratas para o município. Não fui eu que na prática fiz as licitações da festa, mas como presidente assinei tudo. O promotor do caso, a época, foi parcial e tendencioso, por que não indiciou o Kalu que foi o principal acusado nas denúncias?

Na política só perdi financeira e profissionalmente, meu patrimônio hoje é menor que vinte anos atrás, mas tudo é um aprendizado, e vida que segue… Estou em paz com minha consciência, sempre cumpri meus mandatos com dedicação e dignidade, sigo em frente, agora com mais tempo e ainda mais energia para lutar para que a cidade que nasci e que tanto amo, não caia nas mãos de gente ruim, despreparada e que só sabem atirar pedras.”

O suplente Marcelo da Bicicletaria vai assumir o posto deixado por Marcos Ferraz na Câmara dos Vereadores