Em meio a pandemia, Vinhedo completa 71 anos neste 2 de abril

Edição impressa do JV trouxe especial sobre a cidade com votos de vinhedenses que não nasceram aqui, mas escolheram a cidade para morar

Portal de Vinhedo é um dos principais e mais belos cartões postais do município (Foto: Arquivo JV)

Nesta quinta-feira, 2 de abril, Vinhedo completa 71 anos de emancipação política e econômica.  Por conta da pandemia do coronavírus, as comemorações serão todas virtuais pela primeira vez na história.

A cidade é notadamente um polo de desenvolvimento e referência de qualidade de vida na Região Metropolitana de Campinas (RMC), no Estado de São Paulo e até mesmo no Brasil.

A história da cidade começa em 1620, aproximadamente, época do ciclo do ouro, quando surgiu um pequeno povoado na Estrada da Boiada (estrada que até hoje corta a cidade de Vinhedo). Assim, a chamada rota dos bandeirantes e também dos tropeiros, que transportavam gado e produtos, acabou desenhando o desenvolvimento do país. E a história de Vinhedo não é diferente.

Em 31 de outubro de 1908, o governador do Estado de São Paulo, Albuquerque Lins, promulgou a Lei nº 1138. Então, foi criado o Distrito de Paz de Rocinha, no município de Jundiaí e, pela proximidade com aquela cidade, acabou atraindo novos moradores. O Distrito, antes simples pousada daqueles bandeirantes e tropeiros, tornou-se um dos principais locais da região.

A população, formada principalmente por imigrantes europeus, transformou a agricultura, bastante diversificada, na base da economia local, caracterizada, principalmente, pela grande quantidade de videiras predominantes em seus vales e encostas. Rocinha não parou de crescer. Dessa forma, as ruas foram surgindo e o Distrito ganhou condições urbanas de um povoado em desenvolvimento.

Na década de 20, a agricultura deixou de ser o principal ramo de economia, quando foi construída a primeira indústria do Distrito, a Fiação e Tecelagem Sant’Anna, inaugurada em 1925. Em 1947, foi fundada a Cerâmica Jatobá, e em 1953, a Carborundum.

Emancipação

O povoado prosperava e os problemas começavam a surgir. Diversas pessoas influentes na cidade, como médicos, jornalistas, famílias tradicionais etc, captando o anseio da população em se desligar de Jundiaí, iniciaram o processo de emancipação do Distrito.

O plebiscito foi marcado para 24 de outubro de 1948, plenamente democrático e simples, onde todos podiam votar. Eram homens e mulheres acima de 18 anos, que viviam no Distrito, no mínimo há dois anos. Dos 1.666 eleitores que compareceram à votação, 1.563 lutaram pela emancipação, oficializada no mês de dezembro do mesmo ano.

Em 2 de abril de 1949, aconteceu a escolha do primeiro prefeito, tendo como candidato único, o médico Abrahão Aun. Vinhedo foi o nome escolhido para homenagear o principal produto agrícola da cidade – a uva.

Enfim, o progresso chegou, mas Vinhedo continua resgatando a cultura de uma cidade do interior. Em proporção adequada, a qualidade de vida e crescimento são características do município.

A edição impressa do JV, do dia 28 de março, trouxe um especial sobre a cidade com votos de vinhedenses que não nasceram aqui, mas escolheram a cidade para morar. Para conferir a publicação basta CLICAR AQUI ou conferir logo abaixo.