Vereadores cobram perdas de vacina em conversa com secretário de saúde

Na tarde desta quarta-feira, 17, o presidente da Câmara de Vinhedo, vereador Rodrigo Paixão (PDT), as vereadoras Chris PC (MDB) e Inês (MDB) e os vereadores Mazinho (PSC), Pastor Léo (PTB) e Paulinho Palmeira (PODE) receberam o secretário municipal de Saúde, Carlos Eduardo Solé Vernin para dialogar sobre o cronograma de vacinação contra a covid-19 em Vinhedo. Os parlamentares também buscaram informações sobre as perdas ocorridas durante a campanha.

A reunião ocorreu por iniciativa da veadora Chris PC e teve também a participação de Milton Ricardo Ribolli, diretor de Vigilância Sanitária e André Cristóvão da Rocha, diretor de Assistência e Atendimento da pasta.

“Agradecemos ao secretário de Saúde que atendeu à solicitação da vereadora Chris PC e prontamente se colocou à disposição desta Casa para esclarecer as dúvidas que temos sobre a vacinação contra o novo coronavírus”, explicou o presidente Rodrigo Paixão.

Durante o encontro, o secretário municipal e sua equipe explicaram que o cronograma de vacinação segue recomendação do governo estadual e cada lote de vacinas deve necessariamente ser utilizado para o público definido pela Vigilância da Saúde do Estado. “São documentos técnicos, referentes a cada fase de vacinação e atualizados constantemente pelo Estado. Vinhedo cumpre estas recomendações”, explicou o secretário.

Sobre as filas durante os dias de vacinação, foi esclarecido aos parlamentares que a vacinação é rápida, contudo, antes da aplicação do imunizante é obrigatório o preenchimento de um cadastro e, nesse sentido, a população pode contribuir preenchendo antecipadamente os dados em link disponível no website da Prefeitura para cada fase da campanha.

Questionado sobre as perdas de doses da vacina contra o novo coronavírus, a equipe da Secretaria de Saúde explicou que todo processo de vacinação tem perdas, originadas por exemplo pela pressão frasco-seringa. Além disso, alguns dos lotes recebidos em Vinhedo são multidose, ou seja, em um único frasco há imunizante para diversas aplicações. Nestes casos, uma vez iniciado o consumo do frasco há um prazo de 6 horas para consumo total da vacina  – além desse prazo, o produto não deve mais ser utilizado.

Segundo explicações fornecidas pelo diretor de Vigilância Sanitária, “em alguns lugares houve atendimento de um bom fluxo de pessoas e o aproveitamento foi de 100%. Contudo, em certo bairro, os profissionais de Saúde abriram uma embalagem e apenas três idosos apareceram para vacinar. Em momentos como este, se houver outra pessoa que tenha feito o cadastro e se enquadre na recomendação estadual, certamente será atendida – mas os profissionais não podem aplicar doses em pessoas que não se enquadram na recomendação”.

Os parlamentares pediram maior divulgação destas informações à população, inclusive do link para cadastro dos munícipes para que as filas sejam reduzidas durante as ações de vacinação.

As informações sobre o cronograma de vacinação contra a Covid-19 podem ser obtidas no site da prefeitura voltado ao tema. Clique aqui para acessar.

 

Leia também:

Após perder 29 doses, Prefeitura omite atualização no Vacinômetro